Livro

Perfeitos – Scott Westerfeld

Segundo livro da série “Feios”. Agora, Tally é um perfeita. Depois de ter se entregado para servir de cobaia para a nova cura contra as lesões causadas no cérebro, Tally aproveita sua vida de perfeita. Festas, bebidas, ressacas. A única coisa que ela sabe é que ela era uma idiota por achar que ser uma Enfumaçada era legal. Além disso, ela é a perfeita mais famosa da cidade e ela se sente ‘borbulhante’ por causa disso. Fica óbvio o jeito como a lesão age. Num dia, Croy, uma antigo enfumaçado, invade Nova Perfeição para levar a cura que a Tally nem sequer se lembra. A partir dai, vira uma corrida para mostrar aos Novos Enfumaçados que a cura é um sucesso.

O segundo livro da série é tão “borbulhante” quanto o primeiro e consegue te prender. Um triângulo amoroso se forma entre Tally, Zane (seu novo namorado) e David, o feio. Muitas vezes, Tally é retratada como uma princesa no livro, uma princesa presa numa torre.  O começo é bem chatinho, parece que não vai andar a história e ficaremos empacadas com a Tally e seu novo amor Zane, mas depois começa a andar e você não consegue largar o livro. Zane sabe agitar as coisas e, ai ai, Zane ❤

É Zane que faz a Tally ir atrás da cura, é Zane que ajuda Tally a se redescobrir, enquanto ele mesmo faz isso consigo. Ele consegue ser mais empolgante que a Tally, o David e todos os outros personagens juntos. Scott com certeza acertou nesse personagem. Shay, ai Shay. Eu amava ela até a metade de Feios, achava que ela ia ser a mulher forte, independente e tudo mais, da história. Ledo engano. Ela continua é fútil, ridícula e não gosto dela, não gosto dela MESMO.

Depois que a história pega um certo ritmo, ela não para. Descobrimos cada vez o mundo obscuro por trás dos Especiais e o que eles fazem para descobrir mais sobre a natureza humanas. Vemos que nossa sociedade não está tão longe da sociedade da série, afinal, nós não excluimos os “Feios” e preferimos os “Perfeitos”? Será que nossa vida não é fútil, baseada somente em viver o momento e aproveitar a vida, com raros momentos “borbulhantes”? É uma série de livros que nos leva a questionar muitos dos nossos comportamentos, desde o primeiro livro.

E aquele final? O que faremos com Scott Westerfeld e sua mania de nos deixar a beira do precipício com aqueles finais? Acho que ele e o Rick Riordan, escritor de Percy Jackson, devem gostar de deixar o coração dos fãs na mão.

Já comecei a ler “Especiais” e eu já estou indignada com a capacidade da Tally de ser ferrar… Enfim, isso fica pra outra resenha, quem sabe amanhã?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s