Etc

Coisas que me irritam em ir ao cinema

Ontem eu fui assistir Divergente, e ainda estou trabalhando em absorver todas as informações para formular uma opinião consistente, porque ainda estou meio ??? com o filme. Acho que vou assistir de novo antes de dar meu veredicto, mas, por enquanto, acredito que o filme está bom sim. Deixo para fazer a resenha sobre isso depois, hoje vim conversar com vocês sobre a ida ao cinema e porque de algumas vezes isso mais me estressa do que me diverte.

Oh Lord, have mercy
Oh Lord, have mercy

1. Horários e a capacidade de não se respeitar isso

Eu tenho um quê de britânico que corre em mim: sou a pessoa mais pontual que existe. Se meu compromisso começa às 8h, por exemplo, eu saio de casa 1h antes, dependendo de onde for. Se for longe, tiver que pegar mais de um ônibus, 2h antes eu to saindo de casa. Isso é um problema para mim quando se fala sobre filmes.

Normalmente eu vou ao cinema com a minha mãe por motivos de: não tenho um  namorado, não tenho dinheiro pra ir com os amigos, normalmente meus amigos não querem assistir os mesmos filmes que eu, então arrasto a pessoa que paga meu ingresso e minha pipoca, que é minha mãe. E é ai que meus problemas começam. Eu gosto de chegar cedo no cinema, para dar tempo de ir no mercado ou nas Americanas comprar o refrigerante mais barato, e sobrar tempo. Ficar tranquilo. Minha mãe parece que gosta da correria, eu já odeio.

Divergente, por exemplo, começava 21:55 porque minha mãe decidiu que seria legal ir no cinema do outro lado da cidade e que tinha a sessão mais tarde. Era 20:40 e ainda estávamos em casa. Chegamos 21:10 e minha mãe ainda teve a capacidade de querer comprar os restos de chocolate que faltavam pra família e “Hm, Dani, que tal você levar essa sacola pra mim no carro?”. Eram 21:45.

Resultado? Tivemos que comprar pipoca correndo, ir pro lugar correndo. Mas nada disso adiantou, porque a sessão ainda atrasou cinco minutos. Pouco comparado a capacidade que o brasileiro tem em se atrasar. Minha sessão de Thor: O Mundo Sombrio, por exemplo, atrasou meia hora.Odeio atrasos, odeio fazer as coisas correndo, então normalmente já começo o filme estressada.

Por um Brasil mais britânico.

2. Pessoas atrasadas e o uso de celulares para achar o lugar

Outro problema que deriva da falta de relógio em brasileiros: Se a sessão começa 18h, por que diabos você me entra na sala 18:10 quando as luzes já estão todas apagadas, todos os trailers já passaram e  você ainda acende o flash do telefone para achar o lugar no ingresso? Por quê?

Rogo para vocês: Procurem o número do assento no ingresso antes de entrar na sala. Ao entrar na sala quando atrasados, não façam barulhos, não respirem. Não tirem a atenção de quem já está assistindo ao filme para verem as pessoas atrasadas chegarem. Não é legal. Faz uma pessoa que odeio atrasos, como eu, ficar com vontade de puxar uma arma e, sei lá, matar os atrasadinhos.

3. Pessoas que não calam a boca o filme inteiro

Esse problema também seria resolvido se a primeira opção minha pra ir ao cinema não fosse a minha mãe. Eu acho que ela senta na poltrona dela, esquece que está lá para assistir ao filme, e simplesmente desliga o cérebro. Ai alguma coisa acontece, ela vira pra mim e “Mas tal pessoa não tinha feito tão coisa?”. O único filme que ela não fez isso foi Capitão América: O Soldado Invernal, mas dai eu já acho que é porque ela tava ocupada demais encarando os músculos de Chris Evans.

Em Divergente, por exemplo, assistimos em uma sala de cinema pequena, eu estava no meio da fileira, e tinham mais quatro poltronas ao meu lado. Todos eles ocupados por um grupo que foi junto assistir. Um cara estava sentado ao meu lado, uma moça duas poltronas depois do cara. Ela virava e ficava conversando com esse cara o filme inteiro. O FILME INTEIRO! E era pra perguntar coisas que já aconteceram, ou que iam acontecer dali dois minutos. Mas acho que o cara também não tinha lido o livro – assim como ela – então ele começou a falar um monte de besteira. Quase matei alguém naquela sessão.

4. Celulares. Celulares em geral.

Se você está no cinema, deduzo que é pra assistir ao filme – ou se catar com alguém, mas isso dai já não cabe a mim julgar. Então por que, criatura, você me vai pegar o celular no meio da sessão pra ver as horas? Ou pra mandar mensagem? Twittar? Por quê? Você sabia que isso atrapalha? Demais, aliás.

Mas o pior de tudo é quando o celular toca.

Ai, para completar, a pessoa atende.

Em Divergente isso aconteceu, na cena mais dramática. Eu, com os olhinhos cheios de água, tentando controlar as lágrimas porque tinha ido de rímel que não era à prova d’água, fungando enquanto tudo aquilo acontecia na minha frente, e o celular da criatura me toca no atrás de mim. Precisei quase amassar a minha garrafinha de água para me impedir de virar e dar um soco na cara dela quando eu escuto um “Oi, tia? Não posso falar agora”.

Então por que atendeu o celular, criatura?

E é por isso que gosto de ir em sessões vazias e, quando tenho dinheiro, sozinha, porque tenho uma sessão tranquila e livre de estresses.

Eu ouvi um amém?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s